terça-feira, 6 de novembro de 2007

O início...

Nunca fui de escrever Diários. Nem em adolescente, quando estes eram companheiros frequentes e confidentes de muitas raparigas e rapazes. Não, comigo não. Não fazia o meu género, pensava.
Os blogues são, afinal, os novos Diários, para uns; forma de promoção, para outros. Vozes do que cada um pensa e pretende declarar aos outros. A todos. Para mim, sinceramente, é uma necessidade recente. Gosto de escrever e interesso-me por muitas coisas. Penso e sinto, como tantos. Nada de original, portanto. Devo ao meu Amigo L. o incentivo para avançar com esta experiência. O empurrão, o estímulo. Para ele, um enorme bem-haja.
Aqui vai. A ver vamos.

2 comentários:

Luís Galego disse...

Porquê escrever um blog?

A revista ‘The Philosophers’ Magazine’ incluiu um artigo em que se aborda este tema, onde é citado o editor a dizer que:

“Given that the world probably does not even need most of my more carefully worked out musings, it certainly doesn’t need my off-the-cuff ramblings. So, no, sorry. Blogging would waste my time and yours. Go read something I or someone else has put some prolonged thought into.”

É o tipo de ideias que pode levar a alguma reacção contra blogs. É verdade que a maior parte do que se publica não merece o nosso tempo de leitura. No entanto, atente-se ao que se lê no Blog de Brandon Watson, Siris:

“I consider blogging to be a very informal type of publishing - like putting up thoughts on your door, with a note asking for comments, or like brainstorming sessions. Nothing in this weblog is done rigorously: it's a place for jottings and first impressions. Because I consider posts here to be 'literary seedings' rather than finished products, nothing here should be taken as if it were anything more than an attempt to rough out some basic thoughts on various issues. Learning to look at any topic philosophically requires, I think, jumping right in, even knowing that you might be making a fool of yourself; so that's what I do. My primary interest in most topics is the flow and structure of reasoning they involve rather than their actual conclusions, so most of my posts are about that. If, however, you find me making a clear factual error, let me know; blogging is a great way to get rid of misconceptions.”

Realça-se aqui a ideia de que os posts são “literary seedings”. E esta ideia é por si suficientemente válida para se avançar com um blog.

Portanto, estimada afilhada em matéria bloguistas a solo que o que espero encontrar neste cantinho são notas de reflexão sobre os temas que te ocupam no momento, com vista a compreende-los melhor. Muitas das ideias expressas podem até ser meras tentativas, um momento de brainstorming. Mas a ideia é expressá-las. Mesmo que a maioria surja de forma simples, é provável que algumas floresçam. É uma boa maneira de falarmos de nós. Uma forma de viajarmos...

Claro que podemos escrever para uma pasta qualquer escondida num cantinho do computador; Mas não se pode negar o apelo e a utilidade de ser lido.

Bom baptismo, a solo!!!

CANIFA disse...

M'ta gostà cheu des site d'bosa!
Eu gostei muito este teu sito!
Mi è piaciuto molto questo tuo sito!
I like this your site!
Parabens