domingo, 3 de agosto de 2008

Iniciativas comunitárias por Terras do Xisto

Foz d'Égua
Início de férias de Verão, que se desejam variadas, como convém. A convite de amigos viajo rumo à zona Centro, onde, por entre a belíssima Serra do Açor, proliferam pequenas aldeias de xisto que pincelam a paisagem. Paisagem verde com traços de azul das ribeiras que correm por lá e que permitem um sem número de piscinas fluviais, para gozo dos sentidos. Se o olhar se delicia com a transparência das águas, o corpo agradece poder nelas mergulhar, nos dias quentes de um Verão do interior.

Fiquei a conhecer um pouco melhor a região, por onde há já bastante tempo não passava. Revisitei lugares que são pequenas pérolas, como a tão conhecida aldeia do Piódão, a vila de Avô ou a Fraga da Pena, em que, apesar das águas geladas, se mergulha e se explora os recantos, descobrindo os encantos de uma cascata saída do verde. Ou ainda a pequenina aldeia de Foz d’Égua, com a sua piscina natural e uma ponte de tábuas e corda sobre as águas, pronta para a aventura, a fazer lembrar o Indiana Jones… Simpáticas alternativas ou complemento às férias do litoral e às já cansadas “vistas” das praias de Agosto.

Mas, para além das belezas naturais, que são muitas, descobri outra realidade que desconhecia. Em Portugal, país onde o espírito comunitário não tem grande tradição e onde impera um certo individualismo nas acções, descobri que existe uma realidade chamada Comissão de Melhoramentos. De iniciativa popular, estas associações são constituídas por moradores e amigos das terras, que unem esforços, se colectam e organizam e se dedicam a promover e pôr em prática pequenas acções de melhoramento da sua terra, como a limpeza periódica das piscinas fluviais, arranjos no pavimento das ruas, a dinamização das festas, entre outras iniciativas. Como no caso da Comissão de Melhoramentos do Agroal, pequenina aldeia do concelho de Arganil, cuja comissão já existe desde 1951… Agindo por si só ou pressionando as autarquias, estas associações representam a voz da população local e, pelo menos nesta região - já que nunca me apercebi que outras houvesse noutras zonas do país -, são exemplos vivos de uma democracia representativa e dinâmica.

Para todos aqueles que desperdiçam os dias em lamúrias inconsequentes e que mais não fazem que apontar o dedo, aqui fica uma boa demonstração de que o progresso e o bem-estar dos povos depende mais de nós mesmos do que dos outros. Democraticamente. Com participação. Porque, como dizia José Mário Branco, quando se atribui a culpa à sociedade, ao país, tudo entidades abstractas, “a culpa é de todos, a culpa é de ninguém”…

23 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Aqui é a Renata Cordeiro. Uma tal de Maria Júlia Braga diz que segunda-feira estará pronto o Blog em que ela vai mostrar quem sou eu de verdade. Já avisei a vocês que estava sendo difamada. Ela diz ter fotos recentes minhas. Só se for montagem, pois não saio de casa, e quando o faço, é de carro. Quarta passada, ligou alguém do sexo feminino para a minha casa perguntando se eu tinha médico no dia seguinte, que por coincidência eu tinha, e seu tinha feito exame de sangue, o que também tinha feito. E que estava ligando para confirmar a minha consulta às 8:30 da manhã. Quando minha mãe me deu o recado, eu disse que a consulta era às 16: 40 e liguei para consultório, de onde me disseram que nminguém de lá havia ligado para mim. Se ela fotografou alguém às 8: 30 da manhã, com certeza não sou eu. Descobriu todos os meus e-mails e interceptou todas as conversas e todos os comments que ponho nos blogs dos amigos. Vocês decidem: ou dêem crédito a ela ou a mim, que vcs conhecem.
Obrigada,
Renata Cordeiro

Paulo Tomás Neves disse...

Passamos demasiado tempo a criticar os "eles" e a dizer que "alguém" tem que fazer alguma coisa. E a resposta, o caminho, está em arregaçar as mangas e agir, sem esperar que sejam os outros a fazer algo por nós.
Boa Semana

Paula Crespo disse...

Paulo,
É a atitude mais comum...
Seja bem-vindo e volte sempre.
Boa semana.

Ka disse...

Sem dúvida que é mesmo assim: 90% reclamam e 10% fazem por mudar!

E o que custa mais a participar na mudança é mesmo dar-mos o nosso tempo não é? É muito mais fácil dar-se um donativo que "meter-mos mãos à obra"...

Beijos e uma excelente semana

O Puma disse...

A liberdade não cai do céu

conquista-se no chão que pisamos

AGRY disse...

Li, algures quem visita o Piódão, no seu ninho de verdura, e a Serra do Açor com certeza voltará sempre.
Assim, que eu posso dizer da sua presença por aquelas terras? Sortuda, E não só. Provoca-nos um salivar crescente, um despeito mal disfarçado!
No que respeita aos melhoramentos, a iniciativa popular é interessante. O lirismo que lhe está subjacente, também. Receio que essa atmosfera paisagística e social nos adormeça a nossa capacidade de indignação e nos remeta para uma viagem sem retorno.
A democracia participativa é um conceito muito amplo, como sabe. Aqui não estaremos na presença de um certo, e louvável, bairrismo?
A democracia representativa, tal como as conhecemos nas sociedades burguesas ou, se preferir, nas democracias formais, é, por definição, incompatível com iniciativas populares.
J.Mário Branco pretende, e bem, convidar-nos para a acção. O alheamento da politica, equivale à emissão de cheques, em branco, a favor de uma classe politica distanciada do país real e dos legítimos interesses dos cidadãos.
Já fui longe de mais, desculpe
Boas férias,para si e por aí
Beijos

Alexandre disse...

Fiz uma vez um trabalho para o jornal sobre as aldeias perdidas da serra da Lousã e região de Góis e fiquei maravilhado! É um património que não se deveria perde, mas infelizmente algumas dessas aldeias já quase não têm habitantes!

Se este é um dos países mais antigos da Europa, onde está o respeito pelo seu melhor património?

Beijinhos, Paula! Tudo de bom!!!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Querida, obrigada pela presença no meu Blog. Postei sobre o filme "Caráter" e como sei que você tem bom caráter, apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um abraço,
Renata

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oi, Paula, minha amiga:
Estou dando uma festa em comemoração às minhas melhoras.
Conto com a sua presença.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata
Há fogos de artifício, queijos da Provença, sucos e bolo, você vai gostar da minha festa virtual.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Paula, querida, presença constante no meu Blog, fiz um post lindo, vc não vai prestigiá-lo?
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um beijo,
Renata

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oi, Paulinha!
Estou esperando por vc no meu Blog, pois fiz um post em que publiquei obras de vários amigos da Blogosfera.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um beijo,
Renata
PS: Espero e conto com vc!

mariam disse...

passei só p'ra deixar um "olá"

fique bem.

o meu "dolce fare niente" começou ~~~~

um grande sorriso :)

mariam disse...

esse local é simplesmente fantástico.... um salva de palmas à iniciativa de preservação, bom seria que outras comunidades pegassem no exemplo!

um sorriso :)

Oliver Pickwick disse...

"...Para todos aqueles que desperdiçam os dias em lamúrias inconseqüentes e que mais não fazem que apontar o dedo..."
Bravo, Paula! Bem vinda a Terra Dos Que Odeiam Lamúrias.
Pelo visto está aproveitando muito bem as férias. Bem merecidas, tenho certeza.
Depois de quase dois meses de ausência da blogosfera, estou de volta. É um prazer estar em seu sítio e ler as coisas captadas por seus olhos que tudo vêem.
Um beijo!

Paula Crespo disse...

Ka,
É verdade. É mais fácil pagar e não pensarmos mais no assunto...
Bjs

Paula Crespo disse...

Puma,
E paga-se. Sempre.
Obrigada pela visita e volte sempre.

Paula Crespo disse...

Agry,
Sim, será bairrismo, certamente. E percebo quando diz que a democracia representativa não se compadece com este tipo de iniciativas. Mas é um começo para a participação das pessoas na vida da sua comunidade, não é? É melhor do que nada ou do que a resmunguice habitual... Depois, talvez se torne mais fácil agir também noutros patamares, quem sabe?!...
Bjs e boas férias também para si!

Paula Crespo disse...

Alexandre,
Bom, acho que já estivemos pior, apesar de tudo. E cabe também às pessoas a função de fiscalizarem os actos das autarquias, no sentido da protecção do património. E haverá, de alguma forma, mecanismos adequados a essa fiscalização e, mais não sendo, há a sanção do voto contra na próxima eleição, como forma de penalização. E era bom que os políticos sentissem que esse instrumento funciona e que pode ser mesmo usado. Mas para isso, é preciso saber usá-lo.
Bjs

Paula Crespo disse...

Renata,
Tenho estado de férias, como se nota...! Por isso a minha ausência. Vou voltando, aos poucos...
Bjs

Paula Crespo disse...

Mariam,
Que o seu dolce fare niente lhe seja gostoso... o meu ainda se mantém, por mais um tempo.
Bjs

Paula Crespo disse...

Oliver,
Seja bem regressado! Há quanto tempo...
De férias, sim. E que bom é estar de férias, não é assim?!...
Bjos!

Anónimo disse...

o Agroal é lindo..........

é a perola da beira.....

Paula Crespo disse...

Anónimo,
Toda aquela região é muito bonita!